Meu Mundo

"Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não! Quero é uma verdade inventada!"

21 julho 2006

Portas da Percepção



A noite tinha tudo pra ser perfeita. Estava muito frio, mas a energia do lugar já tornou a noite especial, como se algo de muito valioso e eterno estivesse prestes a acontecer. Nos abrimos a tentativa de tornar pública à Percepção.
As portas da percepção são abertas aos fortes, somente estes conseguem compreende-la.
Ativar esta porta é perfeito, é perigoso, é prazeroso, é egoísta, é solidário, dá calafrios.
Imagine alcançar um estado de espírito de total confiança. Onde não existe fome, pudor, inveja, tristeza, arrependimento, mágoas, lembranças ruins. Onde se consiga controlar todos os seus movimentos ao mesmo tempo em que cada centímetro da sua pele esteja conectado a mucosa mais sensível do seu corpo.Uma tentativa de completo gozo.
As verdades mais ocultas querem sair. Todos a sua volta é belo. O ridículo é engraçado. Um vôo. Acho que agora consegui. É um vôo enfim para altas regiões do espírito onde ninguém (ao menos no mundo usual freqüentável) consegue penetrar, ninguém possui.
Seus desejos vêm à tona.
O autocontrole é obrigatório, ou não.
A tua essência vem à tona.
Sentir o amor em cada batida do coração. Em cada batida rítmica sonora no ar. Ver a áurea de cada um, sentir quem nutre desejo por você. Sentir-se no controle da situação, sem ostentar nenhuma relação de poder. Porque todos ali possuem este poder, mas ainda não sabem.
Todo cheiro se torna especial. A solidariedade está no ar. O sexo tem um cheiro doce.
Confessei tudo pra ele. Fiquei leve... exorcizei uma esfera pesada umbralina que morava em mim. Hora ou outra ela volta... mas extingue-se ao saber que “as portas” estão abertas.
O beijo foi iluminadamente limpo. Os beijos foram sinceros. Elas estavam conscientemente perfeitas. O sorriso dela era excitante, perfeito, convidativo. Por isso, a convidei. Ela aceitou.
Foi um pulo, um sonho. Linda, ou seria... lindas?
Ele estava pasmo, não esperava viver seu dia de Henry Miller, naturalmente.
É isso. A liberdade é natural. O desejo é natural. Descobrir isto não é valioso?
A partir daquele momento o amor começou a habitar mais espaços no meu coração, naquele coração.
Não no coração superior dela.
Quero viver nesse estado de liberdade pra sempre!
Esta descoberta tornou-me eterna.
Um viva às portas da percepção!

Marcadores:

1 Comments:

Blogger bondelaire said...

Lindo, profundo, sincero, real inimaginável!

8:47 AM  

Postar um comentário

<< Home